TRADUÇÃO: Entrevista KROQ Red Bull Soundspace

Depois do show de sexta feira no Red Bull Soundspace transmitido online pela KROQ, o Avenged Sevenfold, ainda no palco, fez uma sessão de Perguntas & Respostas, onde alguns fãs também puderam perguntar algumas coisas.

Confira abaixo a tradução da entrevista feita pelo A7X:BR:

Striker: Vocês ficam mais nervosos em tocar para 30 mil pessoas ou 300?

M.Shadows: A gente não fica nervoso. Sinceramente, a gente fica nervoso quando estamos sem tocar por um tempo. Por exemplo, quando fazemos um disco e vamos sair para tocar e ficamos “Merda, cara! Estamos fora de forma.” Tipo, olha fotos minhas de três meses atrás, eu estava muito gordo. Ai a gente volta pra o palco e a correria nos faz ficar em forma.

Striker: E como vocês voltam a ficar em forma? Vendo vídeos do Richard Simmons?*

M.Shadows: Exatamente, todos nós. Na verdade nós levamos o Richard Simmons conosco.

Striker: Vê-los tocando em um lugar com 250/300 pessoas me faz lembrar dos primeiros shows que vocês fizeram. Onde eram esses shows e como eram?

M.Shadows: Sinceramente, esse seria um dos nossos maiores shows, porque quando começamos, nós subíamos ao palco e tinham 5 pessoas assistindo e eles eram todos amigos. E eles nos odiavam, mas eles eram legais. A gente dava algumas camisetas de graça e eles ficavam de pé lá no Chain Reaction.

O Chain Reaction ainda era grande! A gente tocava em alguns lugares como quadras e só tinham 5 pessoas.

Striker: E quando ou como, ou qual foi aquele lugar que vocês tocaram e pensaram “Ual, a gente tem que agradecer a Deus por isso.”.

Zacky V: Acho que a primeira vez que tocamos na Warped Tour em Ventura. E foi a primeira vez que tinham pelo menos umas mil pessoas nos assistindo pela primeira vez e a gente teve que parar por alguns segundos porque eles se machucavam dando moshs ,pulando do palco. Eu acho que eu quase caí do palco e naquele dia eu pensei “Acho que estamos fazendo algo certo.”.

Striker: E vocês falaram sobre não ficarem nervosos, mas neste ponto da carreira – e algo que eu acho muito legal é que a banda cresceu e os fãs cresceram juntos e ficaram com vocês por que a música ainda está aí – e como eu disse no começo, vocês sabem tocar, escrevem as letras e fazem shows inacreditáveis. Mas há a pressão quando vocês lançam uma música nova? Como é?

Synyster Gates: Obviamente tem um pouco de pressão, mas ela vem do nosso perfeccionismo estranho e um pouco de TOC que nós temos que deixar tudo certo entre nós. É claro que mal conseguimos esperar para sair e tocar para o pessoal, esse é o grande objetivo: terminar o mais rápido possível e deixar o mais perfeito possível para que possamos sair e tocar.

Striker: E em estúdio quem é o mais chato?

Synyster Gates: Nós fomos muito rígidos uns com os outros desta vez. É um pouco difícil não ficar triste, por que perdemos um dos caras, e tivemos que sermos puxados para cima algumas vezes. O que fizemos foi trabalhar muito, fizemos o álbum e é uma honra estar aqui e tocar para vocês e todo o apoio que a gente tem de vocês é incrível.

Striker: Antes de vocês subirem no palco vimos gente que veio da Flórida, Fresno, San Diego e eles deram um jeito de chegar até aqui, isso é muito legal. Arin posso te passar o microfone? Esta é a pergunta: Não importa quais os sapatos que alguém irá calçar, se é uma banda gigante ou uma pequena, mas você tem que estar lá. Inicialmente, qual foi sua sensação de estar dentro?

Arin Ilejay: É claro que fiquei nervoso, mas uma coisa que eu tive que me lembrar foi que eu estava entrando em um lugar que se eu não estivesse encaixado no que eles queriam, eu não estaria lá. Nós nos amamos, assim como também amamos oo Jimmy. Eles amam ao Jimmy e eu fui o cara que entrou e preciso respeitar isso. Eu tento ser o mais humilde possível, tocar bem e fazer meu melhor.

Synyster Gates: Ele finalizou. Jimmy ficaria muito orgulhoso, ele está muito orgulhoso.

Striker: Okay, eu não sei se posso fazer isso mas irei. Vem aqui, cara. Todo mundo te viu aqui cantando todas as músicas. Seu primeiro show do Avenged Sevenfold foi onde?

Fã: Em 2010 na Uproar.

Fã: Quais músicas vocês sentem falta de tocar? Dos tempos antigos?

M.Shadows: Nós vamos começar a trazer pra turnê coisas mais antigas, eu quero tocar Remenissions. Nós tocamos muito Second Heartbeat e vamos trazê-la de volta. Não se preocupem que iremos reciclar as músicas.

Striker: Já teve alguma vez que vocês estavam cantando e você se perdeu e ficou “o que eu estou cantando agora?”?

M.Shadows: Eu faço isso direto e penso “Meu deus, a galera está cantando melhor do que eu.”. É por isso que a gente tem que observar o pessoal e fica “Okay, isso vem depois.”. Em Bat Country eu me perdi, mas foi diferente porque comecei a rir e não fazia ideia onde estava. Me lembro disso.

 

Striker: Eu não sei quando terá um show desses em que haverá esse tipo de perguntas & respostas. Alguém mais tem alguma pergunta? 

Fã: Quando o Arin terá um nome oficial?

M.Shadows: Nós conversamos sobre isso e no fim seria um pouco estranho.

Arin Ilejay: Todos já me conhecem como Arin, então ficaria seria “por que ele mudou de nome?”.

M.Shadows: Talvez algum dia se alguém aparecer com algo muito bom. Agora nós não temos nada. Nós não iremos fazer com que ele sofra com a banda por causa dos nomes.

 

Fã: Eu quero saber do Matt como é ser pai.

M.Shadows: É a melhor coisa do mundo. Eu sou um pai muito orgulhoso, babão. Nós fizemos um mês de turnê e Hail To The King é a música favorita dele. Ele batuca na bateria, o Arin está o ensinando e é muito divertido, ele fica assim o dia todo, é muito legal. E sim, eu troco fraldas.

Striker: Do seu filho, espero né?

M.Shadows: E do Johnny quando ele bebe demais.

 

Striker: Agora nós temos que nos despedir e agradecer vocês, caras.

M.Shadows: De nada.

Striker: Vocês se divertiram hoje? Sabe, às vezes eu fico na minha bolha me perguntando onde os fãs mais apaixonados estão e a resposta é que eles estão na minha frente hoje a noite. Em nome do Avenged Sevenfold, da RedBull Soundspace e da KROQ, eu sou o Striker, obrigado por terem assistido online e obrigada por estarem aqui, pessoal.

M.Shadows: Obrigado gente, foi divertido!

 

Confiram a setlist e fotos do show aqui.

Um pensamento sobre “TRADUÇÃO: Entrevista KROQ Red Bull Soundspace

  1. Pingback: A7X no Red Bull Sound Space (01/11/13) | AVENGED BRASIL

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s